Qua­tro jogadores do Rio Ave foram con­sti­tuí­dos argui­dos no âmbito de uma inves­ti­gação que apon­ta para o ali­ci­a­men­to de atle­tas vila­con­dens­es de for­ma a perderem jogos da I Liga de fute­bol.

Em causa estará prin­ci­pal­mente um jogo com o Feirense na época pas­sa­da, fac­to que lev­ou à sus­pen­são, de ime­di­a­to, da referi­da apos­ta no Plac­ard. O jogo Feirense-Rio Ave per­tenceu à 20.ª jor­na­da da época 2016–17, e resul­tou num tri­un­fo caseiro por 2–1. Na altura foram dete­tadas ale­gadas irreg­u­lar­i­dades nas apos­tas, o que lev­ou à inter­venção da San­ta Casa da Mis­er­icór­dia.

Segun­do foi noti­ci­a­do no momen­to a jus­ti­fi­cação da SCM em sus­pender as apos­tas estaria rela­ciona­da com “um afluxo anor­mal de movi­men­tos rela­ciona­dos com esta par­ti­da, em espe­cial de uma ale­ga­da apos­ta de 100 mil euros de um apos­ta­dor prove­niente da Chi­na”.
A SIC adi­anta ago­ra que hou­ve € 500 mil euros apos­ta­dos no Plac­ard na mes­ma tendên­cia e € 50 mil  eram de um só apos­ta­dor. São dados que fazem soar os aler­tas de segu­rança por haver assim uma quan­ti­dade anor­mal de din­heiro apos­ta­do num mes­mo sen­ti­do, neste caso no Feirense — Rio Ave da época pas­sa­da.
De recor­dar as reporta­gens emi­ti­das na altura.

Esta inves­ti­gação da Polí­cia Judi­ciária do Por­to decorre já há um ano e desen­volve-se no âmbito do caso ‘Jogo Dup­lo’. Em causa está a práti­ca de ‘jogos com­bi­na­dos’ e dev­erá englo­bar ain­da out­ros jogos da Primeira Liga das últi­mas tem­po­radas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here