A Estoril-Sol, empresa que explora os casinos de Lisboa e do Estoril, fechou 2017 com um lucro de 10,7 milhões de euros, acima do ganho de 6,5 milhões de euros que tinha registado no ano anterior, informou a empresa no seu relatório e contas, divulgado segunda-feira através da Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

O ano passado marcou o início da caminhada desta empresa nas apostas desportivas on line, e apesar de residual este mercado acabou por ajudar nos lucros da empresa. Nas apostas desportivas a Estoril-Sol teve em 2017 uma quota de mercado de 7% e uma faturação de 4,5 milhões de euros. O valor sobe consideravelmente se a análise for os restantes jogos de fortuna pela internet. Neste capítulio  Estoril-Sol faturou 14,3 milhões de euros em 2017 e alcançou uma quota de mercado de 36%.

Por curiosidade refira-se que receita de jogo da Estoril-Sol  cresceu 11,5% no ano passado, para 210,7 milhões de euros. Descontando os impostos do jogo e os custos operacionais, o EBITDA (resultado antes de juros, impostos, depreciações e amortizações) aumentou 26%, para 40,6 milhões de euros.

No Casino de Lisboa a faturação subiu 3,7%, para 83,8 milhões de euros. No Casino Estoril as receitas de jogo aumentaram 7,6%, para 63,7 milhões de euros. E no Casino da Póvoa, que também pertence à Estoril-Sol, a receita avançou apenas 0,4%, para 44,6 milhões de euros.

 

DEIXE UMA RESPOSTA